Gustavo Colloca – Tite repreendeu Pato na frente dos outros jogadores por pênalti mal batido 100

Pato foi repreendido por Tite pela forma como bateu o último pênalti do Corinthians contra o Grêmio. A advertência foi dada no vestiário, depois da eliminação alvinegra na Copa do Brasil. E na frente de quase todos os jogadores.

Dos que foram para Porto Alegre, só não estava presente Paulo André, que demorou para voltar da sala do exame de antidoping.

O blog apurou que, após reunir os atletas, o treinador foi rápido e firme na cobrança, sem gritar com o atacante. Pato não retrucou.

Danilo e Edenilson, que também desperdiçaram cobranças na disputa com os gremistas, não levaram bronca do chefe.

O blog não conseguiu localizar Tite e Pato por telefone para falarem sobre o assunto. Na entrevista dada depois do jogo, o técnico disse que não comentaria o pênalti perdido pelo atacante. “É coisa de vestiário, fica lá dentro”, declarou.

Anúncios

Gustavo Colloca – Corinthians reduzirá orçamento para 2014 se ficar fora da Libertadores 6

Caso não se classifique para a Libertadores, a diretoria do Corinthians fará uma redução no orçamento para 2014. Isso porque o impacto maior da má campanha neste semestre só será sentido nos cofres, de fato, no próximo ano. Em 2013, a expectativa da receita é de R$ 360 milhões, similar a do ano passado.

Atualmente, o time está longe da zona de classificação ao torneio continental no Brasileiro e tem de bater o Grêmio, no Olímpico, para passar à semifinal da Copa do Brasil. São as suas chances de vaga.

As rendas da competição sul-americana não são significativas comparadas com competições nacionais. Mas classificar-se no torneio sul-americano leva a ganhos de imagem e de rendas de jogos que turbinam o total obtido pelo clube.

“O tipo de efeito que tem é no intangível do clube, na imagem (ficar fora da Libertadores). Porque as receitas não são grandes”, explicou o diretor financeiro do Corinthians, Raul Corrêa e Silva. “Neste ano, os contratos já estão todos assinados.”

De Rodrigo Mattos

Incluído na Libertadores nos últimos três anos, o Corinthians tem como procedimento prever no orçamento apenas a participação do time na primeira fase da competição. Ou seja, contabiliza seis jogos. A partir daí, os ganhos são extras, não previstos. Corrêa e Silva contou que, em novembro, vai excluir esses valores caso o time esteja fora do torneio.

Sem a participação na primeira fase, o clube tem que fazer uma previsão menor de receitas e consequentemente de gastos. Claro que isso não significa que o Corinthians terá um orçamento baixo, já que ostenta os maiores contratos de publicidade e de televisão do país.

Haverá ainda o primeiro ano de jogos no Itaquerão. Mas, no primeiro semestre, há uma previsão de até cinco partidas. Nos primeiros anos, são altos os juros a pagar sobre o empréstimo do BNDES.

O orçamento é feito de forma conservadora no Corinthians. Para 2013, foi estimado um valor de R$ 250 milhões, mais de R$ 100 milhões inferior ao que de fato deve acontecer, pela esperança dos cartolas corintianos.

Na prática, a renda deste ano representa um crescimento em patrocínio, televisão e venda de jogadores, já que não conta com as premiações de Libertadores e Mundial do ano passado.

Mas boa parte dos acordos fechados para este ano foi feito por conta do boom de conquistas do ano passado. A própria Caixa Econômica admitiu que o Mundial de Clubes pesou para fechar o contrato de patrocínio. Esse efeito não se repetirá para 2014 caso o time não conquiste, pelo menos, a vaga continental. Por isso, o orçamento será reduzido em relação aos anos anteriores.