Gustavo Colloca – Paulo André relata clima em vestiário após derrota: “Parece que morreu alguém”

Guilherme Palenzuela
Do UOL, em São Paulo

O zagueiro Paulo André, do Corinthians, relatou à imprensa o clima no vestiário da equipe após a derrota para o Goiás, por 2 a 1, no Pacaembu, neste domingo. O revés é o quarto tropeço seguido do Corinthians no Brasileirão, e afastou o clube do topo da tabela.

“Ninguém falou nada no vestiário. Parece que morreu alguém. Vamos retomar, amanhã (segunda) já tem treino. Buscar o mais rápido possível passar dessa fase para animar torcida e o grupo. Tem muito jogo, Copa do Brasil… Temos de voltar ao G-4. Machuca, estamos tentando e os gols não saem”, contou o zagueiro.

Com a derrota, o Corinthians manteve os 30 pontos e começa a ser perseguido pelos oponentes que ocupam posições intermediárias na tabela.

Durante o jogo, Paulo André foi sacado por Tite no segundo tempo e deu lugar a Emerson Sheik. O defensor reclamou de dores, mas explicou que a alteração do treinador foi plenamente tática.

“Saí por opção mais tática do que física. Tomei uma porrada no primeiro tempo, está doendo. Sheik entrou, empatamos, mas saiu o gol no fim”, acrescentou.

O diretor-adjunto de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, pediu calma às críticas da torcida e admitiu a má fase do time. O dirigente pede cautela antes da partida contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, na próxima rodada.

“Não é um bom momento, sabemos disso, mas precisamos ter tranquilidade e trabalhar bastante pois quarta-feira já tem outro jogo difícil, em Campinas, e temos de trabalhar para os resultados aparecerem. É um mau momento do grupo todo. Calma, trabalho e buscar a vitória”, disse o diretor-adjunto.

Em boa fase, Douglas esquece frustrações no Mundial e na Seleção

Por Diego Ribeiro

São Paulo

O meia Douglas vem reconquistando seu espaço entre os titulares do Corinthians depois de um período de esquecimento no banco de reservas. Aproveitando a sua boa atuação na vitória por 2 a 0 sobre o Luverdense, na quarta-feira, o meia voltou a dar entrevista coletiva depois de um longo período. E ele não deixou de falar abertamente sobre o seu atual momento e situações que o frustraram nos últimos tempos.

Douglas relembrou primeiramente a sua chateação no Mundial de Clubes, no Japão, quando foi sacado da equipe na decisão contra o Chelsea para a entrada de Jorge Henrique. Ele havia sido titular na semifinal contra o Al-Ahly, do Egito.

– O Mundial me frustrou mais por que eu estava em uma sequência bacana e tinha disputado a primeira partida. Mas sei que a decisão não foi técnica, foi mais tática. A função que o Jorge Henrique fez naquele jogo eu não ia fazer nunca, de jogar pelos lados e acompanhar o lateral. Fiquei muito chateado, todo mundo sabe disso, mas passou – afirmou o meia.

Outra frustração que Douglas prefere esquecer é com a Seleção Brasileira. Ele assegura que não tem mais a ambição de defender o Brasil desde uma falha que chamou bastante atenção. Em amistoso contra a Argentina, em 2010, o camisa 10 perdeu uma bola no meio-campo para o craque Messi, que arrancou e fez o gol da vitória dos argentinos por 1 a 0. O técnico da Seleção na ocasião era Mano Menezes, atualmente no Flamengo.

–  Não tem como não ficar chateado com aquilo, mas não penso mais em Seleção Brasileira. Minha cabeça é voltada para o Corinthians – resumiu o meia.

– Aquele lance marcou muito, levei um azar danado que a bola caiu no pé do Messi. Fiquei muito chateado, passei a noite em claro naquela ocasião, mas já superei e estou seguindo em frente – completou.

Neste domingo, curiosamente, Douglas terá a oportunidade de reencontrar Mano Menezes, pois o Corinthians vai enfrentar o Flamengo, às 16h (horário de Brasília), no Pacaembu. Como Danilo está suspenso, a tendência é que o meia seja mantido por Tite entre os titulares.

Antônio Colloca, pai, que tal assistirmos esse jogo neste domingão? Vamos lá!

E O TIMÃO VOLTA PRO G4! E COISA BOA! RUMO AO TÍTULO!

VAI CORINTHIANS!

 

E O GUERREIRO JOGANDO MUITO!

 

O Corinthians voltou a jogar mal no Brasileiro. Não se impôs ao desfalcado Coritiba, neste domingo, no Pacaembu, pouco criou e ouviu reclamações. Ainda contou com a ajuda do juiz, que viu pênalti inexistente em Danilo no fim do segundo tempo.

Mas futebol bonito não é sinônimo de três pontos. Vitória, sim. Mesmo sem brilhar, a equipe lutou e foi recompensada com um gol de Guerrero, aos 45 do segundo tempo: 1 a 0 no marcador, quarto lugar e retorno ao G4 garantido.

O roteiro da maioria dos jogos do Corinthians, principalmente os disputados no Pacaembu, se repetiu. Adversário bem postado na defesa, fechando as jogadas pelas laterais do Timão e apostando no contra-ataque.

Esse é o preço de ficar na vitrine. Com tantos títulos, o time de Tite foi muito estudado pelos rivais, que encontraram um jeito de, se não derrotá-lo, ao menos impedi-lo de dominar.

Cabeçadas de Pato e Gil aqui, um chute de longe de Renato Augusto ali e nada mais do que isso. Mesmo com Renato e Danilo na criação, a equipe pouco produziu de perigoso.

ajudinha extra/ Mesmo sem Alex, Deivid e outros seis desfalques, o Coxa jogou de igual para igual. Teve chances de marcar, mas pecou na finalização. Principalmente em jogada de Arthur pelo lado esquerdo.

A partida se encaminhava para o 0 a 0, mas Péricles apareceu. Não havia nenhum jogador com esse nome, leitor. Péricles era o juiz do confronto.

Primeiro, poderia ter expulsado Sheik, que deu um carrinho para lá de perigoso em Gil. Deu amarelo. Tudo bem, ainda foi bonzinho demais. Mas, no fim, em lance normal de ombro a ombro de Danilo e Luccas Claro, Péricles viu o pênalti.

Certo ou errado, o Timão não tem nada a ver com isso. Também já foi prejudicado — quem se esquece de Amarilla? — e ajudado pelos juízes. Guerrero converteu a cobrança, garantiu os três pontos e a volta ao G4.

NOTÍCIA DO REDE BOM DIA!

 

VEJA AÍ ANTONIO COLLOCA! ESSA É BOA!

 

BY GUSTAVO RICARDO COLLOCA

gustavo_ricardo_colloca_corinthians_guerriro_g4

Homenagem a Antonio Colloca, meu pai.

O que falar sobre os pais? Bem, quanto aos outros não sei, mas sobre o meu pai, Antonio Colloca
Homem maravilhoso que, desde que me conheço por gente sempre esteve a meu lado. Íntegro, me ensinou moral, ética, respeito ao próximo.

Meu pai me ensinou que devemos perdoar sempre, que a vida nos dá  tudo que necessitamos na hora certa. Seu nome? Antônio Colloca. Puxei dele os olhos e o gênio, como também o coração e o sentimento bom pelo mundo.

Se eu escrevesse tudo o que ele significa pra mim, não haveria páginas o suficiente para fazê-lo. Penso que se no mundo, as pessoas tivessem um pai como o meu, com certeza o mundo estaria muito melhor. Não digo que estaria perfeito, afinal, ninguém é mas sem dúvida alguma, haveria muito mais amor.

Sr Antônio Colloca, sua corujisse às vezes é um pouco exagerada, mas sei que é excesso de amor. Sempre foi um apaixonado por tudo que realizou e me ensinou também a importância da família.

Lembro-me que na minha adolescência ele sempre falava que devíamos acreditar em nós mesmos, que poderíamos vencer na vida.

Pai, venci e devo isso a você. A garra, determinação, o acreditar que podemos ter, a convicção de que a felicidade é algo para o qual somos destinados.

Nesse dia quero homenageá-lo e, embora ele saiba o quanto o amo, abro para o mundo esse amor e agradeço ao Pai Celestial por ter me permitido ter um pai tão maravilhoso como o senhor, Antônio Colloca.

Gustavo Ricardo Colloca – Anderson Silva deve deixar seu cinturão vago para fazer superluta contra GSP nos meio-médios

Gustavo Ricardo Colloca - Anderson Silva deve deixar seu cinturão vago para fazer superluta contra GSP nos meio-médios

Gustavo Ricardo Colloca – Uma enorme reviravolta pode tomar conta do UFC nos próximos meses e terá como protagonista Anderson Silva. De acordo com o experiente repórter norte-americano Dave Meltzer, o campeão dos médios do UFC pretende deixar vago seu cinturão para finalmente fazer a superluta contra o campeão dos meio-médios Georges St-Pierre.

Gustavo Ricardo Colloca - Anderson Silva deve deixar seu cinturão vago para fazer superluta contra GSP nos meio-médiosEle reportou que em conversas com o altíssimo escalão do UFC foi revelado que essa ideia já está avançada para o brasileiro e que deve acontecer em 2013, podendo ele fazer ou não mais uma defesa de cinturão dos médios. Com isso, ele resolveria o “problema” que o evento tem, com a categoria estagnada com a falta de desafiantes para o Spider.

Para que isso aconteça, no entanto, é necessário que o canadense GSP vença o campeão interino dos meio-médios Carlos Condit, no UFC 154, em novembro, mantendo seu cinturão.

Essa enorme mudança também pode afetar outro brasileiro que tem a mesma equipe de empresário de Anderson Silva, Lyoto Machida, o que também deve ter entrado nessa negociação.

Gustavo Ricardo Colloca – Machida será o próximo desafiante pelo cinturão dos meio-pesados, em sua terceira chance de ficar com o título. Em caso de derrota – para Jon Jones ou Dan Henderson – ficaria politicamente impossível ele ter uma nova oportunidade de ser campeão da categoria. Sem Anderson nos médios, Lyoto estaria livre para descer de peso e recomeçar seu caminho por um título.

Vale a pena ressaltar que tanto Lyoto Machida quanto Anderson Silva não teriam maiores problemas para descer de categoria, já que pouco sofrem para bater seus atuais pesos.

A conferir se essa revolução toda realmente vai se concretizar. No papel, pelo menos, poderia ser muito interessante para o evento e para os fãs de MMA, que poderiam ver novos grandes combates, novos campeões e a superluta que todos querem ver.

Fonte: UOL Esporte

Gustavo Colloca

Gustavo Colloca – Vôlei feminino do Brasil repete roteiro de Pequim

Gustavo Colloca - Vôlei feminino do Brasil repete roteiro de Pequim

Gustavo Ricardo Colloca – Depois de uma grande crise, a seleção feminina de vôlei reagiu, está no caminho das medalhas e vocifera contra os críticos. O roteiro que parece o do ouro de Pequim, há quatro anos, está acontecendo de novo nas Olimpíadas de  Londres 2012, já que depois da vitória suada contra a Rússia nas quartas elas estão a uma vitória de garantir mais uma medalha em seus currículos, apesar dos prognósticos negativos.

Gustavo Colloca - Vôlei feminino do Brasil repete roteiro de Pequim

Em 2008, as meninas vinham de uma série dura de resultados negativos. Quatro anos antes, em Atenas, perderam a semifinal contra a Rússia com direito a cinco match points desperdiçados. Em 2006 e 2007, a perda do Mundial para a mesma Rússia e do Pan do Rio de Janeiro para Cuba, respectivamente, contribuíram para uma fama de “amarelonas”.

Gustavo Colloca – Quando a equipe surpreendeu e atropelou as rivais em Pequim, não deixou passar a chance de rebater os críticos. “São quatro anos que estamos tentando responder algo que não tem resposta. As pessoas podiam saber massacrar menos. É uma geração vencedora e podia ser mais respeitada”, disse a líbero Fabi, à época.

Em Londres, a crise aconteceu mais tarde, mas o cenário foi parecido. O Brasil não vem bem desde o ano passado, não convenceu no Grand Prix e começou muito mal os Jogos Olímpicos, com derrotas para Estados Unidos e Coreia do Sul e a quase eliminação na primeira fase. Com a vitória inesperada contra a Rússia, nas quartas, elas voltaram a reclamar de quem não acredita no bi olímpico.

Fonte: UOL

Gustavo Colloca

Gustavo Ricardo Colloca – Record e Globo já armam disputa pela exclusividade da Olimpíada de 2020

Gustavo Ricardo colloca - Olimpiadas 2020

A corrida por direitos de imagens da Olimpiadas 2020 já começou. A Olimpíada 2012 de Londres ainda está no ar, mas os bastidores das negociações das próximas edições da competição já agitam os dirigentes dos canais brasileiros, e seus bolsos também.

Gustavo Ricardo colloca - Olimpiadas 2020

Enquanto se preparam para dividir a transmissão da Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, Globo e Record já se armam para tentar comprar com exclusividade os Jogos Olímpicos de 2020, ainda sem país sede. Uma luta que, segundo diretores das emissoras, pode custar muito caro.

Difícil imaginar um evento esportivo que tenha os direitos de transmissão tão valorizados em tão pouco tempo na TV brasileira.

Gustavo Ricardo Colloca – Pelos direitos da Olimpíada de Atenas, em 2004, a Globo desembolsou cerca de US$ 5 milhões. Os jogos de Pequim (2008) custaram em torno de US$ 15 milhões. A transmissão de Londres levou da Record, que ficou com a exclusividade do evento na TV aberta, US$ 60 milhões só pelos direitos de exibição.

O salto veio na competição de 2016, no Rio, que custou US$ 200 milhões às brasileiras Globo, Record e Band.

Como a Record comprou Londres seis anos antes da competição acontecer, a disputa por 2020 já começou. O lance inicial pelo evento nas rodas do Comitê Olímpico Internacional (COI) gira em torno de US$ 250 milhões.

A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha desta quarta-feira (8).

Fonte: UOL

Gustavo Colloca